ACM Júnior assume com homenagem ao pai

Demonstrando pouca intimidade com a tribuna, o novo senador Antônio Carlos Júnior (PFL-BA), filho e suplente do ex-senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), tomou posse no Senado com um discurso em homenagem ao pai. Diferente do ex-senador baiano, que ontem havia ocupado a tribuna por mais de uma hora com duros ataques ao governo, Júnior, de 48 anos, evitou a polêmica e leu o discurso de uma página em apenas cinco minutos."O destino traz-me hoje a assumir o mandato de senador, em substituição ao meu pai, que foi tão injustamente julgado por alguns dos senhores, mas que, pela renúncia, encontrou a melhor maneira de servir à Bahia e ao Brasil", disse Júnior. No plenário, ACM assistia, emocionado, ao discurso do filho. "Acho que deveria ter dado antes a oportunidade do Júnior mostrar o seu talento", comentou depois o ex-senador.Antes de encerrar o rápido discurso, Júnior reproduziu uma citação do irmão, o ex-líder do governo na Câmara Luís Eduardo Magalhães, que morreu em 1998: "Tenho a responsabilidade de ser filho do melhor e maior político brasileiro e, ao mesmo tempo, do homem que conheço que mais ama a Bahia." Júnior negou-se a comentar sobre a possibilidade de assinar a CPI para investigar corrupção, ou a falar sobre qualquer outro tema político. ACM Júnior chegou acompanhado do filho Antônio Carlos Magalhães Neto, de 22 anos, e do sobrinho Luís Eduardo Magalhães Filho, de 19 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.