ACM já pensa em renúncia

Acusado de participar da violação do painel de votação, até agora Antônio Carlos Magalhães não conseguiu convencer ninguém de sua inocência. Como o senador avalia que perdeu o apoio da opinião pública, da mídia e dos próprios senadores para preservar o mandato, seus aliados mais próximos já admitem a possibilidade da renúncia para que ele preserve os seus direitos políticos em 2002. O tema chegou a ser cogitado na noite de quinta-feira, dentro do próprio gabinete de ACM. Ao perceber a repercussão negativa dos telejornais ao depoimento de ACM, naquela mesma noite, vários políticos do grupo carlista passaram a enxergar essa alternativa como a única saída viável para ele não ser excluído da vida pública. Se for cassado, o senador perderá os seus direitos políticos por oito anos. Como está com 73 anos, isso seria fatal, já que aos 81, quando poderia voltar à vida pública, ele já estaria numa idade muito avançada.Leia mais no site do Estado

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.