ACM fala na TV e não poupa FHC

Horas antes de renunciar ao seu mandato no Senado, o senador Antônio Carlos Magalhães não poupou o presidente Fernando Henrique Cardoso ao afirmar, em entrevista ao programa ?Bom Dia, Brasil?, da TV Globo, que Fernando Henrique teve conhecimento da lista de votação da cassação do mandato de Luiz Estevão, obtida pela violação do painel eletrônico no Senado. "Evidente que ele tenha conhecimento da lista por dois motivos: primeiro acredito que o Arruda (ex-senador também responsável pela violação do painel) tenha mostrado a ele (presidente) e em segundo lugar ele (Fernando Henrique) conversou com várias pessoas, inclusive comigo, sobre problemas de pessoas que teriam ou não votado naquela cassação", afirmou ACM. Segundo o senador, Fernando Henrique não deve ter reclamado com ninguém ao tomar conhecimento da violação do painel eletrônico. "Essas coisas quando acontecem as pessoas não ficam indignadas. Ficam até satisfeitas na sua curiosidade. Zangado ele não ficou não", afirmou. Ontem, em três ocasiões, ACM já havia afirmado que o presidente sabia da lista. Base aliadaO senador Antônio Carlos Magalhães, que fará seu discurso de renúncia hoje à tarde, no Senado, criticou ainda a base aliada do governo e o próprio presidente Fernando Henrique. "Eu acho que ele precisa ter coragem de não permanecer querendo forçar uma base aliada que não funciona, a não ser com barganha ou com verbas pagas em vésperas de votação de projeto importante", disse ACM, que citou até mesmo o PT entre os partidos que teriam se beneficiado com a barganha do governo. ACM promete lembrar histórias do governo Fernando Henrique em seu último discurso no Senado. Entre elas, a denúncia de compra de votos para a aprovação da reeleição de Fernando Henrique, em 1998. "Havia uma máquina no governo, desde o tempo de Sérgio Motta, com o objetivo de ficar 20 anos no Poder, às custas inclusive de empregos e verbas públicas. Isso evidentemente não estava certo, mas eu não posso dizer que o presidente comandava esse processo", afirmou. Para ACM, Fernando Henrique é "leniente com a corrupção". "Ele às vezes permite que as coisas aconteçam por culpa dele". ?Ele está rindo?Segundo ACM, alguns parlamentares erraram na condução de todo o processo que culminou na sua renúncia. "Alguns foram até canalhas. Eu tenho pena dos canalhas, porque eles caem adiante", disse ACM, que não quis citar nomes. Ao se referir ao presidente Fernando Henrique Cardoso, ACM disse que não sabe se ele colaborou para a perda do seu mandato. "Se ele colaborou ou não, não sei. Agora, que ele não me ajudou, não ajudou. Ele (Fernando Henrique) está rindo". No discurso de renúncia que fará hoje, ACM vai alertar o governo sobre esta fase de declínio que está atravessando. ACM disse que quer que o governo pare de cair "porque o abismo está perto". No discurso, o senador disse que vai centrar seus ataques nos ministérios administrados pelo PMDB e PSDB. "Eu vou citar números da área econômica que são estarrecedores. E tudo por fonte oficial. Consequentemente acho que o presidente tem que conversar com sua área econômica para mudar o caminho. Do contrário vamos para o abismo", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.