ACM era Maquiavel brasileiro, diz Virgílio

'Senador baiano morreu como viveu : guerreando', diz o senador do PSDB

Célia Froufe, da Agência Estado

20 de julho de 2007 | 13h11

O senador do Amazonas pelo PSDB, Arthur Virgílio, aconselhou aos observadores políticos que leiam frases e pensamentos do senador Antonio Carlos Magalhães, que morreu esta manhã, pronunciados durante sua carreira política. "ACM era uma espécie de (Nicolau) Maquiavel brasileiro", comparou, durante entrevista à Agência Estado, por telefone, direto de Miami, enquanto aguardava vôo para prosseguir à República Dominicana, para onde viajará em férias com a família.   Veja também: Morre o senador Antonio Carlos Magalhães No vídeo mais acessado no YouTube, ACM defende ditadura Frases do senador Site oficial do senador Galeria de Fotos  ACM visita o Estado de S. Paulo    Virgílio afirmou também que ACM morreu como viveu: guerreando. "Ele saiu da UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e foi direto para o Senado. ACM derrotou a morte pelo menos uma meia dúzia de vezes", disse.   Na avaliação de Virgílio, ACM foi um "notável presidente" do Senado, ainda que tenha sua vida política marcada como a de um homem polêmico. "Eu mesmo vivi momentos com ele em que alterávamos a meiguice com a intolerância", considerou. "Perco um companheiro de oposição, um conselheiro", acrescentou.   Após lamentar a morte de ACM, Virgílio lembrou que hoje faleceu também a mãe do governador de São Paulo, José Serra, Serafina Serra. Além disso, comentou que ainda sentia pesar pelo acidente aéreo com o avião da TAM, em São Paulo, esta semana, com cerca de 200 vítimas, incluindo o deputado Júlio Redecker (PSDB-RS). "A bruxa está solta", resumiu.

Tudo o que sabemos sobre:
Morte de ACM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.