ACM enviou cartas a FHC pedindo "moralidade na política"

O ex-senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) revelou durante a entrevista ao jornalista Boris Casoy, no programa Passando a Limpo, que enviou cartas ao presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP) pedindo "moralidade na política".ACM explicou, após o programa, que enviou quatro cartas a FHC com esse teor. A primeira delas foi enviada em 25 de fevereiro de 1999 e a última, em janeiro deste ano, tratando do caso da Sudam. O ex-senador, no entanto, afirmou que não poderia revelar o conteúdo das respostas do presidente e que pretende publicar a troca de correspondências assim que FHC permitir, o que não ocorreu ainda.Perguntado sobre o apoio do PFL a Paulo Maluf (PPB-SP), que em 1998 disputou as eleições para o governo do Estado de São Paulo com Mário Covas, ACM disse que falaria toda a verdade. "Quem fez o PFL apoiar Maluf contra Covas, foi o Fernando Henrique Cardoso", afirmou o ex-senador. Ele explicou ainda que chegou a ser consultado sobre o presidente sobre o assunto e também foi levado ao senador Jorge Bornhausen (PFL-BA).Segundo ACM, essa atitude foi "inteligente", pois assim o presidente conquistou os votos dos eleitores de Paulo Maluf e Mário Covas, garantindo a vitória nas eleições já no primeiro turno. "Não queria falar mais sobre isso, porque o governador Covas está morto, mas ele foi passado para trás", enfatizou.Sobre uma nova aliança do PFL com o PSDB, ACM descartou a possibilidade de que o ministro da Saúde, José Serra (PSDB-SP), seja lançado como candidato dessa aliança. "O Serra está liquidado, é antipático." CassaçãoDurante o programa, o ex-senador disse que se sente feliz por estar livre do processo de cassação e que vai disputar a vaga do senado pelo Estado da Bahia nas próximas eleições, em 2002. Voltou a atacar inimigos, como o senador Ramez Tebet (PMDB-MS), a quem tornou a chamar de "rábula do Pantanal". O senador Saturnino Braga (PSB-RJ), que foi o relator da Comissão de Ética do Senado, também não escapou das críticas.ACM, entretanto, poupou os ataques à senadora Heloísa Helena (PT-AL), que segundo o político baiano teria votado contra a cassação do ex-senador Luiz Estevão. "Eu sei que ela votou e conversei sobre isso com o senador Luiz Eduardo Dutra (PT-SE), mas ele não confirmaria a história. O que posso dizer é que ele não gostou do que eu lhe disse." Sobre a questão do impeachment do presidente Fernando Henrique Cardoso, ACM foi categórico: "Sou contra o impeachment, porque o impeachment vai ser realizado nas urnas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.