ACM diz que não nomeou pessoas no governo

O ex-presidente do Senado Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) recorreu ao testemunho do ministro-chefe da Casa Civil, Pedro Parente, para desfazer a informação de que ele teria nomeado várias pessoas no governo. ACM disse que Parente tem conhecimento desse fato e que já deveria ter vindo a público para rebater as informações que o apontam como responsável pelo preenchimento de dezenas de cargos no segundo escalão. "O doutor Pedro Parente sabe disso", afirmou o senador. "Uma hora dessa ele vai ter de ter a hombridade de dizer como é que eu procedo". O senador disse que o único "império" de que dispõe é formado pelo povo, que já estaria se manifestando a seu favor. "Os cargos que ele dizem que eu tenho é mentira", rebateu. "Eu tinha os dois ministros, que são meus amigos, (Waldeck Ornelas e Rodolpho Tourinho, exonerados na sexta-feira) mas não fiz com eles nenhuma nomeação". Antonio Carlos Magalhães falou ao Estado por telefone, da Flórida, onde permanecerá até o próximo dia 2. Segundo ele, ninguém do governo o procurou e nem deve fazê-lo porque sabe que não conseguiria mudar sua atitude. ACM reiterou suas acusações ao presidente Fernando Henrique. "Ele está passando por uma coisa sendo outra, está passando de leniente a conivente", atacou. "E tudo isso é muito ruim para o País porque é uma farsa". O senador disse novamente que não tem porque guardar as "confidências" que ouviu do presidente sobre coisas que considera "criminosas". Como exemplo, o senador citou o fato de o presidente apontar "determinadas pessoas como corruptas e essas pessoas estarem muito próximas a ele". ACM disse que tem condições de comprovar o que ouviu do presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.