ACM diz que FHC acoberta corrupção

Na nota divulgada há pouco pelo gabinete do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), o ex-presidente do Senado afirma que o presidente Fernando Henrique Cardoso acoberta as pessoas que estão roubando dentro do governo, numa demonstração de que não quer combater a corrupção. A nota diz ainda que quando o presidente fez a opção por Jader Barbalho para a presidência do Senado, o fez para proteger os corruptos e a corrupção. ACM ainda afirma que apoiará CPIs para investigar acusações contra o governo FHC.ACM ditou a nota pelo telefone ao seu assessor Fernando César Mesquita, logo depois de ter sido informado por ele da demissão dos ministros Rodolpho Tourinho e Waldeck Ornélas e também de ter tomado conhecimento da nota com a qual o presidente FHC explica as demissões dos ministros.Veja a íntegra da nota"O presidente da República demonstrou que não nomeia ministros por mérito e sim para agradar pessoas. Os ministros que foram demitidos são homens de bem. Trabalharam com dignidade e com grandes resultados para o governo e para o País. Enquanto isso, os que estão roubando são acobertados, inclusive pelo presidente, numa demonstração de que o governo não quer combater a corrupção. Terei elementos assim que chegar ao Senado para demonstrar fatos que vêm ocorrendo em órgãos do governo sobre os quais adverti o presidente da República através de cartas. Sua excelência sempre arranjava um motivo para evitar a demissão dos implicados, mas admitia a existência de corrupção envolvendo alguns que ainda hoje permanecem no governo. Citando casos e nomes, mostrarei a realidade que o País vive e os recursos que o governo emprega para fingir que procede bem e está trabalhando pelo Brasil. Garanto que o povo brasileiro ficará comigo, a despeito de, através da mídia, as versões estarem sendo apresentadas por um homem que esquece o que diz e não tem compromisso, a não ser por palavras, com o combate à corrupção. Logo que o Congresso reabrir, estarei no meu próprio partido dizendo a verdade e advertindo os fracos: É preciso reagir ao que acontece no País, sobretudo na ladroagem de alguns ministros. Não me sinto vítima. Vou mostrar que sou um vencedor. Punições por demissões de ministros não me importam. Não me beneficio dos ministérios, ao contrário de outros políticos e partidos que utilizam a máquina do governo para se locupletarem. O presidente Fernando Henrique Cardoso não tem lidado com pessoas que têm altivez. É o que revelarei ao povo brasileiro. Se eu não tiver força para abrir inquéritos, que se façam as CPIs que o governo tanto teme. Estarei à frente para mostrar ao Brasil a verdade que é ocultada pelo presidente da República. Quando ele fez a opção por Jader Barbalho, já o fez para proteger os corruptos e a corrupção".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.