ACM deve questionar MP-PA na justiça

O senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) anunciouhoje que vai entrar com ação na justiça questionando a decisão do Ministério Público do Pará que inocentou o presidente do Congresso, Jader Barbalho (PMDB-PA), de acusações de desvio de recursos no Banco do Estado do Pará, quando era governador do estado, arquivando o processo. "Ao contrário do que o Ministério Público Estadual afirmou, o crime de peculato eventualmente praticado pelos diretores do Banco do Estado do Pará não prescreveu", garante o senador, em nota oficial. Na opinião de Antônio Carlos, a decisão dos procuradores paraenses impede a ação do Ministério Público Federal e o pronunciamento do Supremo Tribunal Federal sobre a denúncia oferecida, ou sobre pedido dearquivamento eventualmente proposto. ACM declarou ainda que esta foi uma das "decisões mais absurdas" que já viu. "Se o País receber isso com tranqüilidade, a corrupção vai aumentar", acrescentou ele depois de assegurar estar certo de que "a verdade prevalecerá".O senador Jader Barbalho, por sua vez, comemorou a decisão. "Recebi com satisfação há duas semanas o parecer aprovado pelo Banco Central de maio de 92, que nominalmente me exclui desse processo. Me excluía há nove anos", comentou. "O resto, foi só maldade política", disse ele ao ressaltar que,lamentavelmente, não teve conhecimento disso antes. "Se tivesse, esse assunto não estava sendo tratado até hoje." Indagado se estava magoado, Barbalho respondeu: "mais do que isso, fiquei ressabiado depois de todo esse tempo, de todo esse desgaste".Ele afirmou que, por enquanto, não reclamou a ninguém sobre este fato."Mas vou passar a Semana Santa analisando o caso", que acrescentou considerar uma "ação despropositada e injusta".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.