ACM desafia técnicos a provarem violação de painel

O senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) voltou a negar hoje que tenha recebido uma lista com os votos dados pelos senadores na sessãosecreta em que foi cassado o mandato de senador do empresário Luiz Estevão. "Eu desafio a qualquer técnico do Prodasen (centro de informática e processamento de dados do Senado) ou a qualquer pessoa a afirmar que me entregou qualquer lista, a qualquer tempo", declarou o senador baiano. Segundo ACM, os que o acusam de ter recebido a lista devem dizer qual foi o técnico que lhe fez a entrega e onde isso ocorreu. "O regime (de votação) é inviolável e se fosse violado, jamais o seria por mim", declarou.De acordo com reprodução de conversas gravadas pelo procurador da República LuizFrancisco de Souza e divulgadas pela revista "IstoÉ", o senador teria afirmadoque possui uma lista com os votos de todos os senadores relativos à sessão de cassaçãode Estevão. Como a sessão foi secreta, há suspeita de violação do sigilo e, portanto,quebra de decoro parlamentar. Magalhães, que presidia o Senado quando da sessão secreta,afirmou hoje que a denúncia de violação do sigilo de votação "é uma coisa fútil dealguns que querem aparecer, como o senador Roberto Freire (PPS-PE)".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.