ACM cobra rapidez na definição de candidato tucano

O senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) defendeu nesta sexta-feira que o PSDB escolha com "a maior brevidade" seu candidato à presidência da República. O senador, que assegurou o interesse do PFL em repetir a aliança que manteve nos últimos anos com o PSDB, destacou que a definição do nome que disputará a eleição precisa ser feita para evitar, inclusive, que o presidente Lula continue sendo visto como o único candidato certo para a disputa. "Nós temos esse interesse em fazer uma aliança, mas evidentemente cabe ao PSDB escolher com a maior brevidade o candidato para não deixar um espaço vazio para o Lula", disse.O senador evitou dizer diretamente que o PSDB está demorando demais para se definir, mas ressaltou que uma decisão poderia ter um efeito rápido sobre a força que Lula vem apresentando nas últimas pesquisas eleitorais. "Seja como for, nós vamos ter no princípio de março um candidato e, aí sim, poderemos dar uma pressão no governo Lula que é um governo irresponsável e que infelizmente está jogando sozinho porque nós não temos ainda candidato. Quando nós tivermos candidato ele vai cair nas pesquisas", disse o senador.Perguntado sobre sua preferência entre os dois nomes tucanos para a eleição - o do prefeito de São Paulo, José Serra, ou o do governador paulista, Geraldo Alckmin -, o senador disse apenas que apoiará o candidato que o PSDB escolher. Mesmo assim, deixou claras suas preferências para o posto de vice-presidente: "Eu defendo a tese de que deve ser um vice do nordeste, se o candidato for de São Paulo". Segundo ele, dois nomes do PFL que se encaixariam no perfil: o governador da Bahia, Paulo Souto, e o senador José Agripino (RN).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.