ACM cobra de Brindeiro ação sobre denúncias

O presidente do Senado, Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), fez, no plenário, uma censura pública ao procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, por este não se ter manifestado, até agora, a respeito de denúncias que lhe foram enviadas em abril pela Comissão de Ética do Senado contra o presidente do PMDB e líder do partido na Casa, Jader Barbalho (PA), e contra o próprio ACM. O senador pediu a palavra pela ordem, quando a sessão era presidida pelo senador Carlos Patrocínio (PFL-TO). ACM pediu que a presidência do Senado reitere a cobrança junto a Brindeiro para que ele, pelo menos, responda à Comissão de Ética se as denúncias são ou não procedentes. Patrocínio prometeu encaminhar o pedido de Magalhães conforme o trâmite normal da casa, mas ACM solicitou que o próprio discurso feito hoje por ele fosse enviado a Brindeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.