ACM: caso atual é diferente do de Estevão

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) afirmou, em seu depoimento, que o Conselho de Ética não pode tratar o seu caso da mesma forma que tratou do caso do ex-senador Luiz Estevão. O senador Casildo Maldaner (PMDB-SC) questionou Magalhães sobre como o Conselho poderia julgar o caso do senador baiano, levando-se em consideração que um dos motivos que levaram o próprio Conselho a propor a cassação do mandato de Estevão foi porque ele apresentou duas versões diferentes sobre o seu envolvimento com o ex-juiz Nicolau dos Santos Neto. "São casos totalmente diferentes", disse Magalhães. Para o senador baiano, a contradição entre suas versões sobre a existência de uma lista de votos ocorreu para preservar a imagem do Senado. "No caso do Luiz Estevão, não", afirmou Magalhães. E completou: "Casos diferentes não podem ter julgamentos semelhantes".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.