ACM aproveita discurso e alfineta adversários

O presidente do Senado, Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) alfinetou seus adversários nos três poderes, ao anunciar os princípios que o homem público deve defender, durante seu discurso de despedida no Senado, hoje. "O Brasil não merece que os seus governantes não tenham conhecimento das graves irregularidades que, infelizmente, ocorrem beneficiando apaniguados alheios à moralidade do governo". Segundo ele, "a honra do Poder Executivo não pode ser posta em dúvida pelos que, por uma questão de confiança do governante, não seguem a sua tradição de honradez". Afirmou ainda que o Brasil não merece um Judiciário sujeito à corrupção, vulnerável às vaidades pessoais e à busca de vantagens e galardões que conspurcam o seu exercício". Também disse que "o Brasil não merece um Legislativo aberto a corrupções , a cartas de intenções de compra e venda no mercado das vaidades, balcão de negociatas eivado de oportunismo e exposto à política pessoal e à defesa de interesses individuais, nos dedos de vendilhões que não honram o mandato recebido do povo", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.