ACM apresenta documentos contra Jader

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) relatou, em seu discurso da tribuna do Senado, que, entre outras medidas que o Banco Central tomou para investigar as irregularidades no Banco do Estado do Pará, há um relatório identificado como "Banpará S.A. x Jader Fontenelle Barbalho - utilização indevida de recursos e manipulação de procedimentos operacionais - fraude contábil". "Não sou quem está dizendo, é o BC", observou o senador, informando que esse relatório está cadastrado no Sisbacen sob nº 92.00047391. Durante seu discurso, ACM apresentou cópia de consulta ao Sisbacen, observando que essas informações podem ser facilmente comprovadas. Ele disse ainda que, após concluído, o relatório de fiscalização foi encaminhado ao então procurador-geral da Justiça do Estado do Pará e, lá, o procurador reconheceu que o documento havia desaparecido. Ele lembrou ainda que, na época da divulgação do desaparecimento do documento, o jornal "O Estado de S. Paulo" publicou a íntegra do relatório, no qual o atual presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), foi citado 16 vezes. O senador anexou a seu discurso cheques e outros documentos que, segundo ele, constam de processo que corre no Banco Central contra o senador Jader Barbalho e cujas cópias têm sido negadas ao Ministério Público, sob a alegação de sigilo bancário. ACM disse que está apresentando à mesa do Senado pedido de informações ao ministro da Fazenda, Pedro Malan, sobre o andamento do processo e sobre a base legal para a sonegação das informações. O senador ACM afirmou, ainda, que existem duas ações na Justiça Federal em Brasília contra Barbalho, além de outras que tramitação na Justiça do Pará. A primeira é uma ação popular que tramita na 15ª Vara Federal, sob nº 93.000.84526, referente à compra de uma área no "Polígono dos Castanhais", no Pará. A segunda ação contra Jader Barbalho citada por Antonio Carlos Magalhães é uma ação civil pública que corre na 2ª Vara Federal de Brasília sob o nº 2000.34.00.014-838/1, referente a indenizações pagas por Jader quando ministro da Previdência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.