Acidente faz Aeronáutica suspender operações com caças

Um acidente ocorrido nesta sexta-feira, às 11h20, com um dos 17 Mirages F-103 da Base Aérea de Anápolis, levou o Comando da Aeronáuticaa suspender todas as operações com os caças até que seja feita completa revisão dos motores de todas as demais aeronaves deste tipo.A suspensão, que deverá durar pelomenos até quarta-feira, foi determinada pelas autoridades aeronáuticas que temem queo problema possa se repetir com qualquer outro Mirage.Sendo assim, as missões de interceptação realizadas pelo Primeiro Grupo de DefesaAérea, de Anápolis, que protege toda a região central do País, inclusive a capital federal,não serão realizadas, no mínimo, por cinco dias, período necessário para a checagem de todos os motores. Neste período, os aviões só terão ordem de decolar em caso de guerra envolvendo o Brasil.O Mirage, que explodiu ao cair, em decorrência de uma falha no motor, era pilotado pelo tenente-aviador Ricardo Cabral da Silva, que se ejetou, nada sofrendo. Ele foi resgatado pela equipe de Serviço de Busca e Salvamento da Aeronáutica.O avião, que decolou da Base de Anápolis para uma missão de interceptação de uma aeronave que precisava ter verificada sua procedência, foi acionado pelo Comando de Defesa Aéreo e Controle do Tráfego Aéreo. Logo após a decolagem, uma falhamecânica, no motor, ocasionou a perda de altitude.Quando verificou que não seria possível controlar o aparelho, o piloto se ejetou e o avião bateu no solo, explodindo. O impacto espalhou destroçou por um raio enorme. De acordo com uma nota oficial distribuída pela Aeronáutica, o avião caiu ?próximo à cabeceira da pista, em uma área desabitada, não ocasionando lesões corporais aterceiros?.A nota esclarece ainda que ?o Comando da Aeronáutica deu início às investigações para apurar os fatores que contribuíram para o acidente?. As investigações irão durar 30 dias.O acidente ocorreu no momento em que está sendo retomado o debate sobre o emprego das Forças Armadas no combate ao tráfico de drogas.A Aeronáutica nega que o acidente possa ter ocorrido por falta de manutenção dos aparelhos, embora reconheça que eles já estão por demais usados e precisam ser trocados. A licitaçãopara substituição dos caças está suspensa desde o início do novo governo, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que os US$ 700 milhões que seriam destinados à renovação da frota seriam mais bem empregados no programa decombate à fome.Este foi o primeiro acidente do dia envolvendo aviões da FAB. O segundo foi noaeroporto de Guarulhos, em São Paulo, com um avião-laboratório HS-800, que faz checagem de equipamento de navegação de vôo. O avião pertence ao Grupo de inspeções da FAB, em São Paulo.O acidente ocorreu no momento do pouso, quando a roda da frente do avião foi recolhida sem que houvesse comando do piloto. Por causa do acidente, a pista 09 direita de Guarulhos ficou interceptada por mais de duas horas. O avião, no entanto, de acordo com informações da FAB, ao contrário do Mirage, que está perdido, poderá sercompletamente recuperado.Veja o índice de notícias sobre o Governo Lula-Os primeiros 100 dias e os ministérios

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.