DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

'Acho que Moraes não terá dificuldade no plenário', diz presidente do Senado

Para que ele tenha o nome confirmado para o Supremo Tribunal Federal (STF), Moraes precisa de no mínimo 41 votos dos 81 possíveis

Erich Decat e Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2017 | 11h44

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Eunício de Oliveira (PMDB-CE), considerou nesta quarta-feira, 22, que a indicação de Alexandre de Moraes não enfrentará dificuldades na votação prevista para ocorrer hoje no plenário da Casa. Para que ele tenha o nome confirmado para o Supremo Tribunal Federal (STF), Moraes precisa de no mínimo 41 votos dos 81 possíveis.

“O ministro Alexandre ontem demonstrou tranquilidade, paciência, capacidade técnica e acho que o ele não terá nenhuma dificuldade de aprovação no plenário”, afirmou Eunício ao chegar no Senado.

A expectativa, segundo ele, é de uma votação rápida. Ele, no entanto, deve aguardar que se registre um quórum relativamente alto para que a indicação de Moraes não corra risco.

“A votação secreta não cabe discussão e nem encaminhamento aberto de líderes. Vou avaliar os senadores que estarão presente para votar. Acho que o ideal é esperar um quórum [alto] para que o ministro não corra risco em relação à sua aprovação ou não. Espero que seja rápida”, disse.

O senador informou que conversou por telefone com Alexandre de Moraes na manhã de hoje e que a previsão é que ele fique em casa e não compareça à sessão.

Indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo presidente Michel Temer, o ministro licenciado da Justiça, Alexandre de Moraes, teve seu nome aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, na noite desta terça-feira, 21, após uma sabatina que durou quase 12 horas. Ele recebeu 19 votos a favor e sete contra, em votação secreta.

Tudo o que sabemos sobre:
Alexandre de Moraes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.