Achaque continua, diz testemunha do mensalão do DF

O jornalista Edmilson Edson dos Santos, conhecido como "Sombra", afirmou hoje que políticos e empresários continuam "achacando" pessoas ligadas à investigação do esquema do "mensalão do DEM", em Brasília. A declaração foi dada ao deixar a Polícia Federal (PF), onde ele prestou depoimento. O jornalista disse que contou à PF o que vem ocorrendo na cidade. "Apenas levei a eles alguns fatos que estão acontecendo aqui fora."

LEANDRO COLON, Agência Estado

30 de março de 2010 | 12h52

Indagado sobre o risco de novas prisões durante a investigação, Edmilson dos Santos citou o possível achaque. "Se continuarem procurando dificultar o trabalho da Justiça e da polícia, fazendo rolo e achacando empresários, acho que sim." Perguntado se a chantagem teria sido feita por políticos ou empresários, respondeu: "Ambos, na cara de pau."

Amigo do ex-secretário Durval Barbosa, delator do esquema de corrupção no DF, "Sombra" foi um dos pivôs do episódio da tentativa de suborno de testemunhas, que levou o ex-governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) à prisão em 11 de fevereiro. O jornalista teria recebido uma proposta de pessoas ligadas a Arruda para desacreditar as acusações de Barbosa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.