Acão popular contra deputado da meia será anexada a processo

Juíza encaminhou o pedido para a 7ª Vara da Fazenda Pública do Distrito Federal

Sandra Manfrini, da Agência Estado,

14 de janeiro de 2010 | 17h01

A juíza Carla Christina Sanches Mota, da 5ª Vara da Fazenda Pública do Distrito Federal, remeteu à 7ª Vara da Fazenda Pública do Distrito Federal a ação popular movida pelo secretário-geral da CUT-DF, Cícero Batista Araújo Rola contra o presidente da Câmara Legislativa, Leonardo Prudente, o deputado flagrado guardando nos bolsos e nas meias o dinheiro que seria de um esquema de corrupção. Na ação, com pedido de liminar, o secretário-geral da CUT pede o afastamento de Prudente da presidência da Câmara e das comissões que discutem o impeachment do governador José Roberto Arruda.

 

Veja também:

linkTribunal pode julgar ação da CUT para afastar Prudente

link Arruda é vaiado em reunião de governadores no Itamaraty

link MP quer impedir deputados de analisar denúncia contra Arruda

 

Em seu despacho, a juíza diz que já existe uma Ação Civil Pública, que tramita na 7ª Vara da Fazenda Pública, que trata do mesmo assunto e, por isso, exime-se da competência para apreciação da ação, remetendo os autos da ação popular à 7ª Vara da Fazenda do DF.

Tudo o que sabemos sobre:
PrudenteArrudaDFCPImensalao

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.