Ação da PF contra Lobão Filho será averiguada, diz Temer

O vice-presidente Michel Temer afirmou nesta quinta-feira, 25, que recebeu uma ligação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmando que vai averiguar a ação da Polícia Federal contra uma comitiva do candidato do partido ao governo do Maranhão, o senador Edison Lobão Filho. Segundo Temer, integrantes do partido no Maranhão relataram que a ação da PF foi "bastante agressiva". "Acabo de receber um telefonema do ministro José Eduardo Cardozo dizendo que vai mandar verificar o que é que houve", disse, em São Paulo, após encontro com representantes de associações de tecnologia.

CARLA ARAÚJO, Estadão Conteúdo

25 de setembro de 2014 | 18h05

"Assim que cheguei do Uruguai eu recebi uma informação dos companheiros do Maranhão dizendo que houve uma ação bastante agressiva em relação a um dos candidatos, do PMDB, ao governo do Maranhão", afirmou. A PF pretendia apurar denúncia de suspeita de recursos ilegais na campanha.

Temer já havia soltado uma nota criticando o episódio e afirmando que, segundo os relatos, os integrantes da Polícia Federal abordaram a comitiva "com armas em punho". "Era preciso uma manifestação qualquer. Eu lancei uma nota dizendo que inadmissível especialmente se tiver um fundamento eleitoral", reforçou.

O vice-presidente disse ainda que é preciso apurar melhor o caso. "Eu acho importante apurar. Se a ação é uma ação fundada em mandado judicial, tudo bem, não há problema", afirmou. Ele ponderou que mesmo fundada em mandado judicial a ação ela deve guardar "certos pressupostos, digamos assim, de tranquilidade na própria investigação". "Eu acho que isso vai ser apurado e suponho que se houve excesso será igualmente apurado", reforçou.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesMALobão FilhoMichel Temer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.