Ação contra Virgílio é bem fundamentada, diz Duque

O presidente do Conselho de Ética, senador Paulo Duque (PMDB-RJ), afirmou hoje que a representação do PMDB contra o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM) é mais bem fundamentada juridicamente do que as onze ações registradas contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), arquivadas na semana passada. Ele confirmou que apresentará no final da tarde seu parecer sobre a ação. O PMDB acusa Virgílio de manter um funcionário fantasma em seu gabinete, de ter tomado empréstimo com o ex-diretor do Senado Agaciel Maia para pagar despesas pessoais e de ter extrapolado o limite de gastos do plano de saúde com tratamento de sua mãe, já falecida.

CAROL PIRES, Agencia Estado

12 de agosto de 2009 | 13h19

A uma pergunta se havia participado de um "acordão" entre governo e oposição para arquivar as denúncias tanto contra Sarney quanto contra Virgílio, o presidente do Conselho de Ética respondeu: "Não tem acordo paralelo nenhum. Que eu participei, não." Ele informou que pretende marcar a próxima reunião do Conselho de Ética para quarta-feira da próxima semana, quando o colegiado analisará dez recursos em que o PSOL e o PSDB questionam o arquivamento das ações contra José Sarney.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.