Academia defende médico que atendeu Serra no Rio

A Academia Nacional de Medicina aprovou uma moção de solidariedade ao médico Jacob Kligerman, que atendeu José Serra (PSDB) depois que o candidato a presidente foi atingido por um objeto em uma caminhada no Rio de Janeiro, no último dia 20. A entidade declarou estar "indignada com a falsa acusação" feita ao médico pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva após o episódio.

BRUNO BOGHOSSIAN, Agência Estado

29 de outubro de 2010 | 18h23

Em nota, a Academia Nacional de Medicina afirma que Kligerman "é um dos acadêmicos mais respeitados por seu valor profissional" e que o médico "sempre pautou sua atividade profissional no respeito aos direitos de seus pacientes e no mais rigoroso cuidado com a ética médica". O presidente da entidade, Pietro Novellino, esclareceu, no entanto, que a academia é apolítica.

Um dia depois da confusão entre militantes tucanos e petistas na zona oeste da capital fluminense, quando Serra foi atingido na cabeça, Lula afirmou que o episódio não passava de uma "mentira" criada pela equipe de campanha do tucano. O presidente lembrou ainda que Kligerman havia sido presidente do Instituto Nacional do Câncer (Inca) quando Serra era ministro da Saúde.

Esta semana o advogado de Kligerman enviou uma interpelação ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que o presidente Lula esclareça suas declarações. O médico afirma que foi ofendido e exige uma retratação pública.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.