Abstenção preocupa, diz presidente do TSE

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Ayres Britto, admitiu ontem que ficou preocupado com a quantidade de eleitores que faltaram no segundo turno, principalmente no Rio. Segundo o TSE, o índice de abstenção foi de 18,09%. No Rio de Janeiro, em São Luís e em Anápolis, o porcentual ultrapassou os 20%. São Luís foi o campeão de faltas, com 21,28%, seguido de Anápolis, com 21,18%, e do Rio, com 20,25%. Ayres Britto comentou o fato de o feriado do dia dos servidores ter sido antecipado para ontem, o que garantiu a uma parcela dos eleitores uma folga estendida. O episódio levará a Justiça Eleitoral a refletir sobre a conveniência de se antecipar a folga dos servidores. Outro fato que merecerá reflexão é a permissão de votar na companhia de crianças. Até o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o prefeito Gilberto Kassab aderiram à moda. O ministro considera que a prática pode ter um lado positivo de incentivar as crianças a exercerem a cidadania, mas afirmou que isso ainda será analisado. INTERNETAyres Britto disse que a Justiça Eleitoral também deverá tomar providências em relação ao uso da internet. Segundo ele, pode vir a ser adotada na eleição de 2010 a doação de dinheiro para campanhas pela rede, prática que, para o presidente do TSE, traria transparência. Também deve ser debatida a possibilidade de divulgar na internet opiniões sobre candidatos e propagandas. Neste ano, o TSE permitiu apenas que sites de jornais impressos e revistas o fizessem. Segundo Ayres Britto, há vantagens em ampliar o uso da rede, como "trazer os jovens para a vida política". Para o ministro, é fundamental ainda aperfeiçoar o formulário de registro de candidaturas. "Seria desejável" que, no formulário, o candidato, o partido ou a coligação informassem se o político responde a processos criminais na Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.