Absolvido pelo TSE, Maluf é diplomado deputado na Assembleia Legislativa

Deputado federal eleito declarou, pouco logo ao chegar à Alesp, que sempre confiou na Justiça

Daiene Cardoso, da Agência Estado,

17 de dezembro de 2010 | 10h38

BRASÍLIA - O deputado federal eleito Paulo Maluf (PP-SP), conseguiu a diplomação graças à decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de ter lhe concedido o direito.

Pouco antes de chegar à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) para a cerimônia de diplomação, Maluf comentou a medida tomada pelo TSE, declarando que sempre confiou na Justiça e que pretende continuar trabalhando pelo Estado de São Paulo.

 

Veja também:

 

linkProtógenes afirma que manifestações contra Maluf são alerta contra corrupção  

 

 

O deputado disse que pretende continuar trabalhando pelo Estado de São Paulo  Foto: Nilton Fukuda/AE

 

Maluf ressaltou que tem 43 anos de vida pública e que sempre lutou pela democracia e pela liberdade de imprensa. Maluf foi absolvido no caso Frangogate, pela 7ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), por 3 votos a 2. Com a decisão, a candidatura foi assegurada. Ele lembrou que o processo contra ele é de 1996 e insinuou que o Poder Judiciário foi moroso no julgamento da ação. "Eu deveria ter sido absolvido em 1997. Sou absolutamente inocente, como provado."

 

Reajuste

 

Questionado sobre o reajuste salarial dos parlamentares aprovado esta semana, Maluf classificou o aumento de "inoportuno". "Quando o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, diz que tem de fazer corte no Orçamento, eu acho que (o aumento) foi inoportuno", afirmou. O governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), já chegou para a solenidade, mas não deu declarações. Também já estão na Alesp o vice-governador eleito Guilherme Afif Domingos (DEM), a senadora eleita Marta Suplicy (PT) e o deputado estadual mais votado no Estado, Bruno Covas (PSDB). Eles também não quiseram falar na chegada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.