Absolvição 'é vitória da democracia', diz Renan em nota

Presidente do Senado escapou da cassação nesta quarta-feira, por 40 votos a 35

Luciana Nunes Leal, do Estadão

12 de setembro de 2007 | 19h41

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse, em nota divulgada à imprensa, que sua absolvição "é uma vitória da democracia, mas é também o momento de refletir sobre as perdas que este processo político provocou".  Veja também:Especial: Renan escapa da cassação por 40 a 35 Cronologia do caso  Entenda os processos contra Renan  'Absolvição macula política brasileira', diz especialista  Galeria de imagens: confusão, soco e discussões Confusão, soco e discussões marcam 'julgamento'   Blog do Piza: Indecorosa absolvição   'Calvário não é só de Renan, é do Senado'PT nega articulação para absolver Renan 'Vou para a igreja rezar', diz Renan após absolvição Deputados e senadores trocam socos antes de sessão Ouça áudio do tumulto no Senado  Fórum: dê a sua opinião sobre a decisão do Senado Enquete: você concorda com a absolvição de Renan?  Renan disse não guardar mágoa nem ressentimento. Em um tom amistoso, disse que é movido "pelo único sentimento do entendimento e do diálogo". "Nesses mais de cem dias, muitos de nós perdemos algo. Eu perdi mais. Abri mão de convivência com a família e junto a amigos", disse.  Renan afirma que já começou a procurar líderes e presidentes de partidos para retomar a agenda legislativa que, "de fato, interessa ao País e à população".  Ele diz que mesmo com "eventuais injustiças e excessos inerentes ao processo democrático, é preciso acreditar nas instituições, fortalecê-las e não perder a confiança de que a verdade sempre prevalecerá". No final da nota, Renan promete "corresponder aos anseios da instituição e aproximá-la cada vez mais da sociedade brasileira".  Veja a íntegra da nota: NOTA À IMPRENSA O resultado da votação de hoje é uma vitória da democracia, mas é também o momento de refletir sobre as perdas que esse processo político provocou. Nesses mais de 100 dias, muitos de nós perdemos algo. Eu perdi mais. Abri mão de momentos de convivência com minha família e com os amigos. Mas confirmamos que, mesmo com eventuais injustiças e excessos inerentes ao processo democrático, é preciso acreditar nas instituições, fortalecê-las e não perder a confiança de que a verdade sempre prevalecerá. Não guardo mágoa, nem ressentimentos. O único sentimento que me move é o do entendimento e do diálogo. Esse processo se encerra com a reafirmação do mútuo respeito e da serenidade que sempre caracterizaram a convivência política nesta Casa. A partir da decisão madura e soberana do Plenário do Senado, já comecei a procurar os líderes e presidentes de partidos para prosseguirmos na agenda legislativa que de fato interessa ao país, à população. Não tenham dúvidas. Saberei corresponder aos anseios da instituição e aproximá-la cada vez mais da sociedade brasileira. Senador Renan Calheiros Presidente do Senado Federal"

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Renan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.