ABL decreta luto oficial por D.Lucas

A morte do ex-presidente da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) cardeal Dom Lucas Moreira Neves causou o adiamento desta segunda-feira para o dia 17 da posse do jurista Raymundo Faoro na Academia Brasileira de Letras (ABL), porque a instituição decretou luto oficial.?Não podemos fazer festa no período de luto?, explicou o presidente da ABL, Alberto da Costa e Silva, que descreveu o amigo morto como ?homem de grande finura de espírito, de grande sensibilidade e de grande cultura?.Na quarta-feira, será realizada a Sessão da Saudade, tradição na qual a ABL lembra vida e obra do companheiro morto. Autor do clássico ?Os Donos do Poder?, Faoro foi eleito imortal em novembro de 2000, mas problemas de saúde adiaram sua posse em quase dois anos.Nascido em São João del-Rei (MG), em 16 de setembro de 1925, Dom Lucas foi eleito para a academia em 18 de julho de 1996, na sucessão de Abgar Renault, e era primo de Tancredo Neves. Era homem de confiança do papa João Paulo II e estava afastado da presidência da Congregação para os Bispos, órgão da Cúria Romana, por motivos de saúde.O religioso, que ocupava a cadeira de número 12, cujo patrono é França Júnior, tinha diabetes e realizava três sessões de hemodiálise semanais. Por diversas vezes, Dom Lucas teve seu nome incluído na lista dos cardeais cotados para ser papa. A notícia da morte de Dom Lucas foi recebida pelo acadêmico Tarcísio Padilha, ex-presidente da ABL, às 11 horas deste domingo.Padilha calcula que o amigo tenha falecido por volta das 6 horas, horário de Roma. Eles se conheceram na década de 50, quando o primeiro atuava em uma igreja da zona sul do Rio, e o segundo era professor de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ).?Éramos jovens de menos de 30 anos. Ele desenvolvia grande atividade junto à juventude católica universitária. Nosso elo eram os jovens, que eram meus alunos e que ele orientava espiritualmente?, contou Padilha, para quem a morte do religioso foi ?um choque?. ?Ele estava havia muito tempo fragilizado, e esse desfecho não é surpresa. Mas é doloroso. O Brasil, a academia e a igreja perdem um homem de muito valor. Ele já está fazendo muita falta.?Dom Lucas era doutor honoris causa em Teologia pela Universidade São Tomás de Aquino de Roma e pelo College Providence de Rhode Island. Foi agraciado com a Ordem de Rio Branco, a Grã-Cruz da Ordem do Mérito Militar, do Mérito da Aeronáutica e do Mérito da Marinha. Em 9 de julho de 1987, foi nomeado Arcebispo Metropolitano de São Salvador da Bahia e Primaz do Brasil. Entre suas obras, estão os livros Com Olhar de Pastor (1990), Vigilante Desde a Aurora (1991), Pôr-do-Sol em Reritiba (1992) e O Homem Descartável e Outras Crônicas (1995).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.