Aberto inquérito contra laboratórios para apurar reajuste abusivo

A secretaria-executiva da Câmara de Medicamentos (Camed) abriu hoje averiguação preliminar para apurar denúncias de reajustes irregulares nos preços de alguns medicamentos. De acordo com o secretário-executivo da Camed, Luiz Milton Veloso Costa, 18 laboratórios responsáveis por 32 produtos deverão se explicar num prazo de cinco dias úteis, a partir da notificação.Contra outros 13 laboratórios que reajustaram os porcentuais para cima, a secretaria abriu inquérito. Segundo Veloso Costa já teria ficado evidente o reajuste abusivo. "Alguns receberam o comunicado na sexta-feira passada, mas a maioria deve receber hoje", disse.De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) 31 laboratórios teriam aumentado o preço de 32 produtos. Os reajustes foram feitos um mês depois que a Camed definiu os parâmetros para o aumento dos preços dos medicamentos - autorizado por causa das constantes altas da moeda norte-americana desde o início do ano. Para apurar as denúncias, a câmara irá comparar os valores encontrados no mercado com as revistas de preços disponíveis nas farmácias.Segundo o ministério da Saúde, caso sejam comprovadas as irregularidades, as empresas responsáveis serão punidas com multas de até R$ 3,192 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.