Abdib acha melhor esperar a crise esfriar

O presidente da Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de Base (Abdib), José Augusto Marques, disse há pouco em entrevista à Agência Estado que ainda é muito cedo para se fazer qualquer avaliação sobre o impacto da demissão do ministro das Minas e Energia, Rodolpho Tourinho, anunciada nesta sexta-feira em nota oficial do presidente da República. "Ainda é muito difícil falar sobre isto neste momento. Tudo vai depender de quem será o novo ministro", afirmou Marques. Ele ressaltou que, independentemente de quem seja, caberá ao novo ministro acelerar o processo de expansão da oferta de energia elétrica no País. "Não se sabe porque o andamento da expansão no setor vinha sendo insuficiente para a crescimento do consumo. Quem quer que seja o novo ministro, sua principal função será a de acelerar o programa de geração para que isto não se torne um gargalo para o crescimento econômico", comentou. O presidente da Abdib afirmou também que o presidente deve esperar a turbulência política esfriar um pouco para a indicação ao Ministério. "O melhor é deixar o tempo sedimentar um pouco a questão para que o bom senso prevaleça sobre a emoção", declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.