À PF, contador nega ter entregue procurações falsas a Atella Ferreira

Ademir Estevam Cabral foi acusado por Atella de ter encomendado IR de Verônica Serra

Bruno Tavares e Fausto Macedo, de O Estado de S.Paulo,

13 de setembro de 2010 | 13h55

O contador e office boy Ademir Estevam Cabral, apontado como um dos principais personagens do escândalo de violação de sigilo de familiares do presidenciável José Serra (PSDB) depôs nesta segunda-feira, 13, na Polícia Federal de São Paulo por cerca de uma hora e negou ter qualquer participação na trama.

 

Veja também:

link Contador e office boy serão submetidos a acareação

linkGenro de Serra também teve sigilo quebrado com procuração falsa

 

Ademir, que é filiado ao PV, afirmou que não entregou ao contador Antônio Carlos Atella Ferreira procurações falsas em nome de Verônica Serra e Alexandre Bourgeois, filha e genro do tucano. "Tais documentos forjados foram apresentados por Atella na delegacia da Receita em Santo André junto ao pedido de obtenção de cópias das declarações de Verônica e Alexandre", disse Ademir.

 

Ex-filiado ao PT, Atella insiste ter sido Ademir o responsável por lhe encomendar a quebra de sigilo de Verônica. De acordo com ele, o acesso aos dados da filha de Serra faria parte de um lote com outros 18 pedidos feitos por Ademir. Além da PF, a Polícia Civil de São Paulo também investiga o caso.

 

Na sexta-feira, 11, o delegado José Emílio Pescarmona, que preside o inquérito da Polícia Civil sobre a fraude na procuração, decidiu que vai pôr Atella e Cabral frente a frente. A acareação ainda não foi marcada, mas o delegado quer realizá-la em breve. "Há fatos verídicos e inverídicos nos depoimentos de ambos", afirmou na sexta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.