JF DIORIO/ESTADÃO
JF DIORIO/ESTADÃO

'A militância fará Lula presidente novamente', diz Gleisi

Senadora também mandou recado à PF em coletiva: 'Vocês vão ter que arcar as consequências da nossa luta'

Daniel Weterman e Circe Bonatelli, O Estado de S.Paulo

08 Abril 2018 | 18h25

CURITIBA - A presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), senadora Gleisi Hoffmann, indicou que a legenda não desistirá da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cuja prisão foi classificada como política. "Isso [a mobilização da militância] é que trará Lula para nós, fará dele presidente novamente", disse ela neste domingo, 8, durante entrevista coletiva à imprensa nos arredores da sede da Polícia Federal em Curitiba.

+ Ao vivo: LULA PRESO

+ Tudo o que você precisa saber sobre a prisão de Lula

"A prisão é política. Nós entendemos e organismos internacionais entendem isso. Não há, aqui, uma Justiça isenta", emendou a senadora.

Segundo Gleisi, os apoiadores de Lula foram contra a iniciativa do ex-presidente de se entregar à Polícia Federal, mas respeitaram a decisão tomada por ele e seus familiares.

Recado à PF

Por outro lado, ela mandou um recado à Polícia Federal. "Vocês vão ter que arcar as consequências da nossa luta", disse, reiterando que os militantes permanecerão fazendo vigília no local enquanto Lula seguir encarcerado.

+ PT aposta em mobilizações e STF para reverter prisão de Lula

+ Gleisi diz que Lula é 'pessoa diferenciada' e 'preso político'

Gleisi reiterou que foi "inaceitável" o uso de bombas de gás ontem para a dispersão dos manifestante que fazem vigília nos arredores da sede da Polícia Federal. "Solicitamos sindicância administrativa e vamos tomar medidas legais. A Polícia Militar agiu em conformidade com o acordado. O que tivemos aqui ontem foi uma ação da Polícia Federal", criticou.

Ela acrescentou que a PF já se comprometeu em realizar a sindicância e que o PT se posiciona contra qualquer tipo de violência.

'Local digno'

A senadora disse também que o advogado Cristiano Zanin continuava reunido com Lula até o fim da tarde deste domingo. Amanhã haverá uma reunião da direção executiva do PT, em Curitiba. Segundo ela, o ex-presidente passa bem e a sala que foi preparada pela Polícia Federal para recebê-lo é um "local digno".

Segundo Hoffmann,  senadores e governadores planejam visitar o ex-presidente na Polícia Federal. "Nove governadores do Nordeste querem visitar Lula nesta semana", comentou. "A visita de uma comissão do Senado será marcada", acrescentou, dizendo que Lula teria direito a visitas de caráter político.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.