Mariana Haubert/Estadão
Mariana Haubert/Estadão

A menos de um mês do fim do mandato, Temer ganha foto em galeria dos presidentes

Imagem normalmente é afixada após o fim do mandato; atualmente fora do padrão, será substituída por outra no fim do mandato de Temer

Mariana Haubert, O Estado de S.Paulo

11 Dezembro 2018 | 19h18

BRASÍLIA - O Palácio do Planalto afixou nesta terça-feira, 11, a foto do presidente Michel Temer na galeria de presidentes, localizada na entrada do edifício governamental, a 21 dias do fim do seu mandato.

A imagem colorida difere das outras, em preto e branco. O enquadramento também é diferente. Enquanto todos os ex-presidentes são colocados em modo retrato, Temer aparece praticamente de corpo inteiro. A foto, no entanto, será trocada assim que acabar o mandato do presidente, em 31 de dezembro. Em seu lugar entrará uma imagem no mesmo padrão das demais.

Não há regra para a afixação desta imagem, mas normalmente elas são colocadas depois que os mandatos terminam. A ex-presidente Dilma Rousseff, no entanto, teve sua foto colocada na parede logo no início do seu governo. Ela pediu a retirada da imagem no mesmo dia e só voltou a figurar na galeria em outubro de 2016, depois de já ter saído da presidência por causa do impeachment.

A placa lateral com as informações sobre os presidentes também só foi atualizada nesta terça. Até então, não constava ali a informação sobre o fim do governo Dilma e a posse de Temer.

O Planalto também irá afixar a imagem de Pedro Aleixo no memorial. Ele foi vice-presidente de Costa e Silva (1967-1969). Ele deveria ter assumido o cargo quando o então presidente foi afastado em decorrência de uma trombose, mas foi impedido pelos militares por ser civil.

Uma junta de militares formada por Aurélio Lyra, Augusto Rademaker e Márcio Mello governou o país entre 31 de agosto de 1969 a 30 de outubro do mesmo ano. O grupo foi substituído por Emílio Garrastazu Médici.

Em 2011, no entanto, o Congresso aprovou uma lei em que se determinou que Aleixo deveria ser considerado um ex-presidente da República ao dizer que ele figuraria na galeria dos que "foram ungidos pela nação brasileira para a suprema magistratura, para todos os efeitos legais". 

Os responsáveis pelo memorial o reorganizaram nesta terça para garantir espaço para Aleixo. Uma placa já foi afixada na parede, mas a imagem está coberta por uma folha de papel em branco. A imagem deverá ser inaugurada em breve. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.