À meia-noite de sábado começa horário de verão

À meia-noite do próximo sábado, todos os relógios das Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, alémdos Estados da Bahia e Tocantins, deverão ser adiantados em uma hora. Como os relógios passarão de 0 hora para uma hora, esses locais terão o menor domingo do ano, com apenas 23 horas.Nos demais Estados do Nordeste e do Norte, não haverá alterações. Ao todo, a nova versão do horário de verão terá uma duração menor, deapenas 105 dias, e se encerrará no dia 16 de fevereiro, duas semanas antes do carnaval.Folga no suprimentoEsse prazo menor também foi decidido por causa da folga no suprimento de energia e da boa condição de chuvas que se registrou no ano. Ao contrário dos últimos anos, quando o horário especial se iniciava em meados de outubro, este ano ele foi atrasado a pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que temia problemas durante o segundo turno das eleições.Como os relógios das urnas eletrônicas estão bloqueados e programados para serem acionados às 7 horas dos dias 6 e 27 de outubro, eles corriam o risco de ser acionados uma hora antes.Além disso, com o novo horário, haveria atraso maior no início da apuração dos votos, pois o Acreficaria com uma diferença de três horas em relação a Brasília. Em vez das 19 horas dedomingo, os votos para presidente só seriam divulgados às 20 horas, quando sefechassem as urnas do Acre.Evitar excesso de demandaEsta será a 18ª versão seguida do horário de verão no País e, a exemplo das anteriores, o objetivo é evitar um excesso de demanda nos horários de pico de consumo, entre 18 horas e 22 horas, no período de maior calor do ano.O temor das autoridaes do setor é que o excesso de demanda possa elevar o consumo até o limiteda capacidade de geração de energia do País. Neste caso, o risco de haver problemas no abastecimento é muito maior, pois não haveria sobra de energia para eventuais emergências.ResultadosO horário de verão deverá resultar em uma redução de 4% no consumo de energia apenas no horário de pico. No cômputo geral, a estimativa do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), segundo nota divulgada na terça-feira pelo Ministério de Minas e Energia, é que a economia seja em torno de 0,6% no fornecimento diário, em todo o período em que os relógios permanecerão alterados.A economia total de energia durante o horário de verão será de 0,6% nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o que representa 210 MW, suficientes para atender o consumo da cidade de Vitória, no Espírito Santo. A economia esperada na Bahia é de 0,7%, e, em Tocantins, de 0,3%.Durante os 126 dias do horário de verão passado foi obtida uma economia de energia de 0,7%.Apoio da população diminuiO entusiasmo da população com o horário de verão, porém, vem se reduzindo a cada edição. Uma pesquisa divulgada no ano passado, feita para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), mostrou que 74% dos entrevistados eram a favor do horário especial e 55% achavam que o governo deveria repetir a medida.No ano 2000, havia um apoio maior por parte dos moradores dos Estados do Sudeste, Sul e Centro-Oeste, além da Bahia e do Tocantins. O resultado indicou que 82,2% dos entrevistados consideravam o horário de verão ótimo, bom e regular, e 68,3% foram favoráveis à reedição do horário de verão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.