A invasão é um abuso e cria constrangimento, diz Piva

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Horácio Lafer Piva, qualificou hoje como "um abuso" a invasão que os trabalhadores sem terra realizaram na fazenda Faxinal do Paulista, de propriedade da empresa Klabin, em São Cristóvão do Sul, no Planalto Serrano de Santa Catarina, cujo controle acionário pertence à família dele. "Achei a invasão um abuso e continuo achando que todas as invasões são um abuso e uma provocação, porque são feitas em propriedades produtivas, de empresas. Não só criam constrangimentos para quem delas dependem, como certamente é uma péssima imagem, principalmente, para o investidor externo", disse, após participar de reunião do Conselho Estadual de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Cericex).Para o líder empresarial, o "abril vermelho" posto em prática este mês pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), trouxe efeitos negativos na percepção do País. "A cada invasão como essa, podem ter certeza: uma porção de dólares (para investimentos) é adiada para o País", opinou.Piva não quis aprofundar seus comentários sobre a invasão nas terras da Klabin, justificando que as explicações sobre medidas a serem tomadas serão anunciadas pela área de comunicação da companhia. Ele adiantou, porém, ter tomado conhecimento da invasão na noite do último sábado e disse já ter contatado o governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira (PMDB).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.