Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

‘A intenção do status quo é se manter’, diz Guilherme Leal sobre políticos atuais

Fundador do Raps se mostra cético ao surgimento de novas lideranças políticas

Paula Reverbel, O Estado de S. Paulo

24 Fevereiro 2018 | 12h35

O empresário Guilherme Leal, fundador da Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (Raps), disse neste sábado que é difícil dizer se as forças políticas vão permitir a renovação de lideranças desejada pela população.

“As pesquisas divulgadas nos jornais mostram que existe uma vontade de buscar uma renovação política de lideranças, que o eleitor quer isso. Se as forças políticas estabelecidas vão permitir e querem isso, é difícil dizer. A maioria da intenção do status quo é se manter”, disse Leal, que foi candidato à vice-presidente da República na chapa de Marina Silva (Rede), nas eleições de 2010.

O empresário participou de evento da Raps para apresentar 102 novas lideranças que vão fazer curso de formação sobre campanhas eleitorais. De acordo com o movimento, 83 deles pretendem disputar as eleições neste ano.

A estratégia do grupo se se unir para que, alçados a mandatos, consigam emplacar uma agenda de sustentabilidade e diversidade.

Entre os selecionados estão Marcelo Calero -- ex-ministro da Cultura e pivô da queda do também ex-ministro Geddel Vieira Lima, atualmente preso --, João Henrique Lima Campos -- um dos filhos do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, morto em acidente de avião em 2014 -- e Rogério Chequer (Novo), ex-líder do movimento Vem Pra Rua e pré-candidato ao governo do Estado de São Paulo.

Entre os políticos com cargo ou mandato estão o senador Randolfe Rodrigues (Rede), o deputado estadual Carlos Bezerra Jr. (PSDB) e o secretário estadual da Agricultura de São Paulo, Arnaldo Jardim (PPS). A lista também inclui o líder indígena Almir Suruí e a advogada transexual Giowana Cabrone Araújo. Há selecionados de todas as regiões do Brasil e de 21 dos 35 partidos políticos registrados no TSE, a maioria da Rede Sustentabilidade.

‘Partidômetro’. Durante o encontro, a Raps revelou o “Partidômetro”, um índice de avaliação dos partidos políticos que atuam no Brasil de acordo com quatro variáveis: financiamento público, transparência, colaboração com o governo e sustentabilidade.

 

Mais conteúdo sobre:
Guilherme Leal eleições 2018

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.