A Gazeta de Sergipe pública a última edição

Depois de circular durante 48 anos, um dos mais importantes jornais de Sergipe ? a Gazeta de Sergipe ? publica hoje a sua última edição. O acúmulo de dívidas trabalhistas e fiscais tornou a situação financeira do matutino totalmente insustentável, garante o diretor-presidente da empresa, Paulo Roberto Dantas Brandão. Esta é a terceira vez que a Gazeta deixa de circular: tanto em 1969 como em 1986 a suspensão ocorreu por causa de dois incêndios. ?Mas está é, sem dúvida, o nosso pior momento?, disse Paulo Roberto. A Gazeta de Sergipe tem 62 funcionários ? entre jornalistas, pessoal da administração e oficina - que entram em férias coletivas por 15 dias. Alguns deles estão com os salários atrasados desde 92. Um funcionário, que pediu para não ser identificado, disse que o último contra-cheque que recebeu ?foi em maio de 92 e o salário não vem corretamente?. O diretor-presidente Paulo Roberto Brandão reconhece que existem dívidas trabalhistas, mas prefere não revelar o montante. Segundo ele, a Gazeta de Sergipe não vai fechar as portas definitivamente. ?Essa parada é necessária, mas vamos conversar com um grupo empresarial para e já estudamos a possibilidade de voltar com uma nova reformulação gráfica?. O diário matutino Gazeta de Sergipe foi fundado em 13 de janeiro de 1956 pelo empresário Orlando Dantas.

Agencia Estado,

11 Outubro 2003 | 11h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.