PEU RICARDO/ESTADÃO
PEU RICARDO/ESTADÃO

A empresários de Recife, Alckmin defende previdência igual para trabalhador público e privado

Sem citar diretamente pré-candidatura à Presidência, governador apresentou medidas econômicas à plateia; dentre as sugestões, a legalização de jogos de azar e incentivo à produção de biocombustíveis

Adriana Ferraz, ENVIADA ESPECIAL, O Estado de S.Paulo

20 Novembro 2017 | 14h19

RECIFE - No segundo dia de vista a Recife, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), apresentou parte de suas propostas para o País na área econômica. Mesmo sem se colocar oficialmente como pré-candidato à Presidência da República nem citar diretamente a eleição do ano que vem, o tucano listou projetos que colocaria prioritariamente em pauta, como a adoção de um mesmo regime geral da Previdência para o trabalhador público e privado.

++ No Recife, agenda de Alckmin inclui missa e favela

++ Convenção do PSDB em SP impulsiona candidatura de Alckmin à Presidência

Alckmin também defendeu a implementação de aposentadoria complementar para o funcionalismo público - São Paulo já dispõe dessa opção - como única saída para o servidor receber aposentadoria acima do teto. 

O governador fez uma apresentação de slides para mostrar à plateia números de sua gestão e compará-los com os do governo federal. Citou, por exemplo, que São Paulo tem superávit privado, enquanto o Brasil tem déficit primário. 

"Os países que se desenvolvem não têm déficit primário. Não têm juros altos. O Brasil ficou caro antes de ficar rico", disse o governador, que ainda criticou a relação da dívida pública federal com o PIB nacional, de 75% segundo ele.

Alckmin ainda defendeu a reforma tributária e afirmou que o ICMS precisa ser recolhido onde o produto é consumido. "Isso é fazer justiça social." A medida prejudicaria São Paulo, mas favoreceria os Estados do Nordeste, em função da alta população.

O tucano também abordou outros temas caros aos nordestinos, como a questão da água e da segurança pública. Sobre a seca, afirmou ser favorável à transposição do Rio São Francisco, mas também sua revitalização, com dragagem de poluentes para aumentar seu uso para abastecimento público.

Jogo e cana. A apresentação de Alckmin foi acompanhada com atenção pelos empresários, mas o tucano só foi aplaudido em dois momentos: quando afirmou que apoia a "legalização bem regrada" dos jogos de azar como forma de alavancar o turismo e políticas de incentivo para a produção de combustível biodegradável, como o etanol  - Pernambuco é o segundo maior produtor de açúcar do Brasil, perdendo apenas para São Paulo. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.