''A crise é geral'', avalia Tuma

"Não adianta cada dia ter uma denúncia, porque há briga interna entre funcionários e cada um pega um papel e vai para a imprensa", declarou ontem o corregedor do Senado, Romeu Tuma. Em São Paulo, em almoço com empresários, Tuma disse que a "crise é geral" e apontou para servidores a responsabilidade. "Estamos nos aproximando de eleições. Tem que se acautelar, buscar a confiança da população. Houve uma disputa política pela presidência do Senado, ela dividiu inclusive funcionários e aqueles que tinham responsabilidade moral de acompanhar alguns atos que provavelmente tenham sido praticados fora do regimento ou do regulamento da Casa. Denunciam para desmoralizar." O corregedor colocou em dúvida os atos secretos. "Deve ter havido providências que não foram publicadas. Você é nomeado, não publica, mas recebe o seu salário. É um ato que existe."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.