À CPI, Dantas diz que levou preocupação sobre BrT a Dirceu

Banqueiro diz que governo pressionou para que os fundos de pensão assumissem controle da empresa

Cida Fontes, de O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2008 | 18h01

Mesmo amparado por uma liminar que lhe deu diretor de ficar em silêncio, o banqueiro Daniel Dantas tem respondido a todas as perguntas feitas até agora pelos deputados que integram a CPI que investiga escutas telefônicas clandestinas (CPI dos Grampos). Em um dos trechos de seu depoimento, ele afirmou que o governo teria feito pressão para que os fundos de pensão assumissem o controle da Brasil Telecom. Segundo ele, os fundos que mais pressionavam para que o Opportunity deixasse o controle societário da Brasil Telecom eram Previ (o que mais pressionou, segundo ele), Funcef e Petrus.   Daniel Dantas contou que manifestou preocupação com o interesse do governo em relação ao controle da Brasil Telecom em duas conversas com o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu.   Veja Também: 'Não tenho menor dúvida de que fui grampeado', diz Dantas Entenda como funcionava o esquema criminoso  As prisões de Daniel Dantas Ministro do STF manda soltar Braz, braço direito de Dantas Juiz do caso Dantas nega ter autorizado grampo no STF   De acordo com seu relato, na primeira conversa, quando procurou José Dirceu para falar sobre planos de investimentos e manifestou preocupação de que os fundos assumissem o controle da empresa, José Dirceu mencionou que havia planos diferentes do governo para a Brasil Telecom. Disse que não era desejável que o Opportunity mantivesse o controle da Brasil Telecom. "Quando o José Dirceu me manifestou a preocupação de que os fundos assumissem o controle da Brasil Telecom, deixou claro que o controle pelo Opportunity não era desejável", contou.   Já no segundo encontro, conforme relato do banqueiro, José Dirceu teria entendido que a questão do controle da Brasil Telecom era um assunto privado e orientou Daniel Dantas a procurar o então presidente do Banco do Brasil, Cássio Casseb, para resolver o que chamou de "problema". "Que problema?", teria reagido Dantas, obtendo como resposta que seria o controle da Brasil Telecom. Daniel Dantas, ainda conforme seu relato, teria explicado a Dirceu que Cássio Casseb era parte interessada no negócio uma vez que integrava o conselho da Brasil Telecom como representante da Telecom Itália.   Daniel Dantas disse aos deputados que para ele ficou claro que os fundos de pensão estavam sintonia com a Telecom Itália.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.