A convite de Marta, Dilma vem a SP participar de evento

Sob o argumento de que estava presente para falar do PAC, Dilma não poupou elogios a Marta

Clarissa Oliveira, de O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2008 | 19h43

Um dia após o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter pedido cautela a ministros ao apoiarem candidatos na eleição municipal, a ex-ministra e pré-candidata à prefeitura paulistana Marta Suplicy (PT) engrossou nesta terça-feira, 10, sua linha de cabos eleitorais com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Atendendo a um convite de Marta, Dilma veio de Brasília a São Paulo especialmente para participar de um seminário organizado pelo Diretório Municipal do PT, para debater propostas para melhorar o trânsito e o transporte em São Paulo.  Sob o argumento de que estava presente para falar sobre o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Dilma não poupou elogios a Marta. "É uma servidora pública, competente, capaz, responsável por uma das grandes administrações municipais deste país, um exemplo de mulher batalhadora e competente e, ao mesmo tempo, uma pessoa capaz de gestos de generosidade muito grandes", afirmou Dilma, a quem Marta se referia como "minha amiga".  A viagem da chefe da Casa Civil faz parte de uma estratégia montada por articuladores da campanha de Marta para aproximar a imagem da petista à do presidente Lula e seu governo. Com o aval do presidente, Marta convidou outros quatro ministros para participarem de seminários nas próximas semanas. Na lista, estão José Gomes Temporão (Saúde), Fernando Haddad (Educação), Tarso Genro (Justiça), Márcio Fortes (Cidades). O Diretório Municipal do PT arcará com as despesas de transporte e hospedagem, de acordo com dirigentes da legenda. Trânsito Ao embarcar no principal tema escolhido para sua campanha, Marta apresentou uma série de propostas para aliviar o problema do trânsito na capital. Ela prometeu, por exemplo, rever o modelo do bilhete único, uma das marcas de sua gestão no transporte público. A idéia, segundo a petista, é aumentar o tempo em que é permitido pegar vários ônibus com o pagamento de uma única passagem.Além disso, Marta disse que trabalhará para viabilizar a construção de mais de 41 km de linhas de metrô até 2012. Dilma, que fez elogios também ao bilhete único de Marta, repetiu o discurso do governo de que investimentos do PAC foram projetos com base na necessidade de cada região e não com interesses eleitoreiros. Exemplo disso, afirmou, são os investimentos do governo federal nas obras do Rodoanel. Outro caso, afirmou, é o metrô de São Paulo, nos quais o governo pretende gastar R$ 2,3 bilhões em financiamentos e parcerias, segundo a ministra. "O governo do presidente fez, faz e fará parcerias."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.