A bolada do PMDB

Certos da vitória de Michel Temer, integrantes da cúpula do PMDB decidiram fazer um bolão para ver quem acertava na mosca com quantos votos o peemedebista seria eleito para comandar a Câmara. As apostas iam de 300 a 450 votos - ninguém na direção acreditava que Temer teria menos de 300 votos. O preço da aposta foi salgado: R$ 500 por palpite. "Se ganhar, vou passar o carnaval com minha mulher, Monica, em Paris", afirmou o ex-ministro e deputado Eunício Oliveira (PMDB-CE), um dos mais entusiasmados com a candidatura. Ninguém apostou que o deputado paulista teria 304 votos. Ganhou, portanto, quem chegou mais perto. O prêmio, de R$ 17,5 mil, será dividido entre o peemedebista Danilo Forte, presidente da Funasa, e Sandro Mabel (PR-GO). "Ganhei meu carnaval", disse Forte, que cravou 301 votos para o correligionário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.