8 ministros deixam o governo para disputar a eleição

Já está decidida a saída de oito dos ministros do governo que serão candidatos nas eleições deste ano, informou a Assessoria de Imprensa do Palácio do Planalto. O ministro Jaques Wagner (Relações Institucionais), responsável pela coordenação política), será substituído pelo ex-ministro da Educação e ex-presidente do PT Tarso Genro, como adiantou o Estado. Ele afirmou que aceitou convite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O Planalto ainda não informou os nomes dos substitutos dos outros sete ministros cuja saída já está confirmada. Além de Wagner, deixarão hoje a equipe os ministros José Alencar (Defesa), Ciro Gomes (Integração) Alfredo Nascimento (Transportes), Saraiva Felipe (Saúde), Miguel Rossetto (Desenvolvimento Agrário), Agnelo Queiroz (Esporte) e José Fritsch (Pesca).Alencar deixará o cargo porque não quer estar impedido para qualquer disputa em outubro, embora insista que não é candidato a nada. No Palácio do Planalto, o comentário é de que ele pode ser novamente candidato a vice na chapa de Lula à reeleição. Ciro Gomes vai concorrer a deputado federal, atendendo a pedido de seu partido, o PSB.DisputaAlfredo Nascimento, do PL, vai se candidatar ao governo do Amazonas. Para o lugar de Nascimento também há disputa entre grupos do PL. Ele gostaria que seu sucessor fosse o atual secretário-executivo, Paulo Sérgio Passos, mas há ainda dois candidatos: o senador João Ribeiro, pelo PL de Tocantins, e o diretor geral do DNIT - Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes, Mauro Barbosa.O Ministério da Saúde também terá novo comandante. O mineiro Saraiva Felipe entregou o cargo ontem a Lula, mais dois nomes, ambos do PMDB, disputam a sua vaga: o secretário-executivo José Agenor Álvares da Silva e Paulo Lustosa, indicado pelo ex-presidente José Sarney.Nos demais ministérios há menos polêmica em relação à sucessão. O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, anunciou que deixa o cargo porque vai concorrer a uma vaga no Senado pelo PT do Rio Grande do Sul. Para o seu lugar deve ir mesmo o secretário-executivo do ministério, Guilherme Cassel. O ministro da Secretaria de Pesca, José Fritsch, informou ao presidente Lula que deixa o cargo para disputar o governo de Santa Catarina e indicou para substituí-lo o seu secretário-executivo.Será nesta sexta-feira a conversa do presidente Lula com o Agnelo Queiroz, do PC do B, que pretende concorrer ao governo do Distrito Federal. Está numa briga com o PT, que não abre mão de lançar a candidatura de Geraldo Magela à sucessão de Joaquim Roriz, dividindo a esquerda. Orlando Silva, secretário-executivo do Esporte, deve assumir a cadeira de Agnelo.De todos esses ministros, só Agnelo Queiroz não esteve hoje com o presidente Lula tratando do assunto, mas segundo o Planalto, já está decidida a saída dele. O próprio Agnelo Queiroz, que é do PC do B, tem informado que se lançará candidato ao governo do Distrito Federal.

Agencia Estado,

30 de março de 2006 | 20h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.