75% já ouviram falar da crise financeira, mostra CNI/Ibope

Levantamento ainda detectou que 49% dos entrevistados consideram a crise grave e 35% muito grave

Ana Paula Scinocca, de O Estado de S. Paulo,

15 de dezembro de 2008 | 16h13

Pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta segunda-feira, 15, revela que 75% dos brasileiros já têm conhecimento da crise financeira. Outros 23% disseram ter ouvido falar pela primeira vez da crise ao serem abordados pelo entrevistador, enquanto 1% disse não saber. Entre os que disseram já ter conhecimento da crise, 93% declararam ter curso superior na formação escolar.  Veja também:CNI/Ibope: Aprovação ao governo Lula tem recorde  Gráfico e números da pesquisa CNT/Sensus  Aprovação a Lula sobe a 80,3% e bate novo recorde, diz CNT/Sensus Serra sobe e lidera em pesquisa para 2010; Dilma está em 3º  83,5% têm conhecimento da crise, diz pesquisa CNT/Sensus  O levantamento ainda detectou que 49% dos entrevistados consideram a crise grave e 35% muito grave. Para 7%, ela é pouco grave. Outros 7% não souberam avaliar o impacto da crise e 2% consideram que ela é nada grave.  A CNI/Ibope também perguntou sobre o impacto da crise na economia brasileira e, obteve, de 46%, a resposta de que a economia do País será pouco prejudicada. Para 10%, não haverá prejuízo para a economia nacional (o que somados, são 56% a considerarem os impactos mínimos na economia). Outros 37% acreditam que o Brasil será muito prejudicado. Sete por cento não souberam responder.  Em relação à maneira como o Brasil está enfrentando a crise, 44% disseram acreditar que o País está mais preparado hoje do que estava anteriormente. Outros 28% acreditam que o País hoje está igualmente preparado para enfrentar uma crise como esteve nos anos anteriores, quando enfrentou outras situações de adversidade. Para 15% do total, o País está hoje menos preparado e, para outros 7%, não está preparado. Seis por cento não souberam responder.  O medo da crise também foi medido pelo levantamento divulgado nesta tarde. Os brasileiros com maior nível de escolaridade e de renda são os que mais temem os efeitos da crise financeira. Dos entrevistados com curso superior, 28% estão com muito medo de serem afetados pela crise. O sentimento também foi compartilhado por 29% das pessoas com renda familiar acima de 10 salários mínimos.  Em relação à postura do governo frente à crise, 62% avaliaram que a atuação do Planalto no combate aos efeitos é ótima ou boa. O Ibope realizou 2.002 entrevistas em 141 municípios, entre os dias 5 e 8 de dezembro. A margem de erro é de dois pontos porcentuais.

Mais conteúdo sobre:
CNI/IbopeLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.