73,9% são a favor da contratação de médicos estrangeiros, diz CNT

Aprovação ao programa federal aumentou em relação à pesquisa realizada em julho, quando 49,7% apoiavam a medida

Alterado às 12h06, Laís Alegretti e Eduardo Rodrigues - Agência Estado

10 de setembro de 2013 | 11h01

Brasília - A maioria dos brasileiros é a favor da contratação de médicos estrangeiros pelo programa Mais Médicos do governo federal, segundo pesquisa divulgada na manhã desta terça-feira, 10, encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) e realizada pelo instituto MDA. Segundo o levantamento, a aprovação aumentou de julho para setembro e desaprovação caiu. Declararam-se a favor da importação dos profissionais formados no exterior 73,9% dos entrevistados. Em julho, o porcentual era de 49,7%.

 

A quantidade de entrevistados que disse contrária o programa caiu de 47,4% em julho para 23,8% em setembro. O porcentual de pessoas para quem o programa será capaz de solucionar os problemas graves de saúde no Brasil foi de 49,6%, contra 47,1% que não acreditam na capacidade do Mais Médicos em resolvê-los. Outros 3,3% não responderam. A pesquisa foi feita em 135 municípios, de 31 de agosto até 4 de setembro. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais, para mais ou para menos.

 

O programa Mais Médicos foi apresentado pela presidente Dilma Rousseff após os protestos de rua ocorridos no País em Junho. A medida foi criticada por associações da classe médica. Pelo cronograma, 682 profissionais formados no exterior (400 cubanos e 282 selecionados pelo programa) devem começar a atuar no dia 16 em cidades onde há falta de médicos.

 

Governo Dilma. A pesquisa CNT/MDA indicou também que o índice de avaliação positiva do governo da presidente Dilma Rousseff subiu de 31,3% em julho para 38,1% em setembro. Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 135 municípios de 21 unidades da federação, das cinco regiões, entre os dias 31 de agosto e 4 de setembro.

Mais conteúdo sobre:
DilmapopularidadeCNT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.