63 brasileiros detidos na Inglaterra por trabalho ilegal

As autoridades britânicas prenderam esta semana 63 brasileiros que trabalhavam em situação irregular em uma fábrica de biscoitos e doces no distrito de Surrey, situado ao Sul da Inglaterra. "Eu visitei ontem cinco homens e três mulheres que foram detidos em Surrey e, apesar do ocorrido, todos passam bem", informou à Agência Estado o cônsul-geral do Brasil na Inglaterra, embaixador Fernando Paulo de Mello Barreto Filho. Segundo ele, os brasileiros não estão detidos no mesmo local, foram espalhados em várias delegacias do Sul da Inglaterra.Mello Barreto disse que soube do ocorrido no início da tarde de ontem: "O familiar de um desses brasileiros procurou o consulado para pedir ajuda. Assim que soube do fato, entrei em contato com as autoridades britânicas para saber detalhes do caso e visitá-los."Durante visita aos brasileiros, o embaixador constatou que eles estão sendo bem tratados. "Apesar da situação delicada em que se encontram, todos passam bem. Hoje o consulado vai entrar em contato com os outros brasileiros que foram detidos", reiterou.A prisão dos 63 brasileiros ocorreu após uma inspeção do Foreign & Commonwealth Office, departamento de governo britânico responsável pelas relações internacionais, na fábrica de biscoitos e doces em Surrey. Na operação, foram detidos 101 imigrantes que trabalhavam em situação irregular, dentre eles, os 63 brasileiros. "Estamos dando todo o apoio que eles necessitam", destacou o embaixador Mello Barreto. Entretanto, se os brasileiros estão trabalhando ilegalmente no Reino Unido, não há nada que o consulado e a embaixada do Brasil possam fazer. A penalidade prevista pelo governo britânico para casos como esse é a deportação.Para evitar que o processo de retorno desses brasileiros seja feito, por exemplo, em um vôo fretado, o que poderia causar ainda mais constrangimentos, o consulado e a embaixada do Brasil estão empenhadas em encontrar um outro caminho. O embaixador do Brasil em Londres, José Maurício Bustani, já está em contato com as autoridades britânicas para tratar do assunto. "Uma das alternativas é que esses brasileiros retornem ao Brasil em vôos comerciais, pois serem colocados todos em um vôo charter seria muito constrangedor", destaca uma fonte ligada ao governo brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.