60% dos servidores em Pernambuco estão em greve

Em Pernambuco, cerca de 60% do total de 35 mil servidores públicos federais aderiram à greve e a expectativa é de que esse índice possa aumentar. A avaliação é do coordenador-geral do Sindicato dos Servidores da Previdência no Estado (Sindisprev), Luiz Eustáquio. Segundo ele, 100% dos 46 postos do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) estão sem funcionar, enquanto nos quatro hospitais e postos de saúde federais 90% dos servidores estão parados. Somente as emergências estão sendo atendidas. A área da Previdência e da saúde têm 12 mil funcionários. Já o coordenador-geral do Sindicato dos Servidores Públicos Federais em Pernambuco (Sindserp), José Carlos Oliveira, informou que 30% dos servidores filiados ao seu sindicato (total de 13,6 mil) estão em greve com a possibilidade de se chegar a 40% nesta sexta-feira e a até 80% na próxima semana, caso não haja um acordo com o governo. Estão paralisados a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), o Incra, o Ministério do Trabalho e o Centro de Educação Tecnológica (antiga escola técnica federal). A previsão, de acordo com Oliveira, é que órgãos como a Funai, Ibama, Sudene, Fundação Nacional de Saúde e Instituto do Patrimônio Histórico venham a engrossar o movimento. Para ele, o novo posicionamento do governo, que agora acena para uma negociação, demonstra que a greve foi acertada. "Os trabalhadores querem negociar", garantiu. Oliveira destacou que a greve só foi deflagrada devido à intransigência do governo e está confiante que a mobilização dos servidores vai conseguir mudar o texto da reforma da Previdência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.