400 sem-terra voltam a invadir fazenda em Ribeirão Preto

Cerca de 200 famílias (aproximadamente 400 pessoas) ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), do Acampamento Mário Lago, reocuparam hoje a Fazenda Da Barra, em Ribeirão Preto. O objetivo dos sem-terra é tentar agilizar o processo de desapropriação da área, que possui 1.780 hectares e é considerada improdutiva. O processo está parado na Justiça Federal, em São Paulo. Segundo a diretora estadual do MST, Kelli Mafort, esse é o sexto endereço do Acampamento Mário Lago, que surgiu há quase um ano, em 2 de agosto de 2003, numa área da família Bragheto, ao lado da Da Barra. Após a reintegração de posse, concedida pela Justiça, o acampamento deslocou-se para outros lugares, como no Parque dos Flamboyants (área cedida pela prefeitura), na estrada ao lado da própria Da Barra e no Ribeirão Verde (chácara de um simpatizante do MST, nos últimos três meses).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.