3º mandato pode levar País ao totalitarismo, diz Marco Aurélio

Presidente do TSE critica Alencar e diz que 'não é possível que não haja alguém' que possa suceder Lula

Felipe Recondo, de O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2008 | 18h31

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Marco Aurélio Mello, afirmou nesta terça-feira, 1, que mudar a Constituição para permitir que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva dispute um terceiro mandato pode levar o Brasil ao totalitarismo. Veja também:Como o presidente sempre diz, 'nunca antes neste País...'Planalto vai tirar Dilma da 'vitrine eleitoral' para 2010 Dossiê contra FHC foi decisão de governo'Candidatura de Dilma em 2010 está morta', diz analista   "Não é possível que num País de 180 milhões não tenhamos alguém a altura de ser presidente da República, afirmou Marco Aurélio. "Essa hegemonia é muito ruim, é sempre algo pernicioso, é algo que leva ao totalitarismo", acrescentou. A bandeira do terceiro mandato era empunhada pelo deputado Devanir Ribeiro (PT-SP), mas ganhou o apoio do vice-presidente da República, José Alencar. Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Alencar disse  que "o povo brasileiro deseja que o Lula fique por mais tempo no poder". Intregrantes do PT, no ano passado, sugeriram a realização de um plebiscito sobre o terceiro mandato. Marco Aurélio, então, criticou essa estratégia e disse que sua opinião se mantém. "Será que o povo está acima da Constituição e a ela não se submete? A resposta será dada pelo órgão máximo do Judiciário. O povo pode rasgar a Constituição, mas, para fazê-lo, só com uma revolução", afirmou à época.

Tudo o que sabemos sobre:
Terceiro mandatoJosé Alencar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.