200 mil pessoas são esperados para festa da padroeira do Brasil

O maior santuário mariano do mundo deve receber no sábado, feriado nacional da padroeira do Brasil, cerca de 200 mil turistas. A previsão é que o número de visitantes neste ano, no Santuário Nacional de Aparecida, em Aparecida (SP), seja 50% maior que no feriado do ano passado, por causa das eleições, que atrapalharam as visitas no dia 6 de outubro. Todos os anos, somente no mês de outubro o Santuário recebe 800 mil romeiros. Neste final de semana, o comércio, o centro de informações turísticas e parte da Basílica vão funcionar 24 horas. Assim como a prefeitura, que montou um posto de atendimento ao visitante, o Santuário também estará aberto para abrigar os romeiros que chegam à noite. Os ônibus devem chegar ainda de madrugada, para a alvorada festiva, que será às 5 horas da manhã. A primeira missa será às 5h30. Às 7 horas acontece o primeiro terço e a missa solene, celebrada pelo arcebispo Dom Aloísio Lorscheider, será às 10 horas. As outras missas acontecem às 8, 13, 15 e 16 horas. Para este ano, a direção da Basílica preparou dois shows. O cantor Sérgio Reis cantará na missa das 8 horas, que será transmitida pela TV Cultura. A outra atração será a cantora Joana, que se apresentará duas vezes, na missa das 10 horas e na Praça João Paulo II, às 19 horas, no encerramento da festa. Segundo a assessoria de imprensa, Joana vai aproveitar a oportunidade para lançar seu novo disco somente com músicas religiosas. Por causa da demanda de fiéis - são cerca de 7 milhões de pessoas por ano -, o Santuário Nacional investiu na infra-estrutura. O romeiro vai encontrar um novo Pronto-Socorro, inaugurado há uma semana, no Anexo da Nave Leste, próximo à passarela. Com maior número de médicos e mais espaço, o novo ambulatório foi equipado para atendimento de emergência e terá capacidade para até 400 pessoas por dia. Segundo o padre José Roberto Pereira, dois médicos e cinco enfermeiros vão fazer o atendimento durante todo o dia. "Atender bem é evangelizar e é isso que fazemos aqui". Por causa do forte calor, a Polícia Militar estima que a maioria das ocorrências, a exemplo dos outros anos, seja de queda de pressão arterial e desmaios. Nos feriados anteriores, passaram pelo ambulatório, uma média de 350 visitantes. Com o tema "Com Maria, por uma terra sem males", a Basílica preparou uma exposição com toda a história do Santuário e na Sala dos Milagres, onde os romeiros depositam fotos e objetos em favor de graças recebidas, haverá ainda um espaço para orações. "Estamos preparados para atender os turistas, no que for preciso, mas principalmente na parte espiritual". Para os motoristas, a novidade é a ampliação do estacionamento, que agora conta com 6.500 vagas, sendo 2.500 para ônibus e 4 mil para veículos de passeio. "Construímos dois novos bolsões, para que não falte lugar para os carros" conta padre Pereira. Por um período de 24 horas, é cobrado R$25,00 para ônibus, R$9,00 para vans, R$6,00 para carros e R$2,00 para caminhões. Os condutores de ônibus ainda vão contar com uma sala destinada ao descanso e higiene. Na sala dos motoristas há chuveiros, banheiros e cadeiras para repouso. Novo altar e pisoOs romeiros acostumados a visitar o Santuário Nacional todos os anos, vão conhecer neste ano o novo altar central da igreja e poderão notar que metade da Basílica já recebeu novo piso. Com um custo de 1,2 milhão de reais, o altar faz parte da primeira etapa da conclusão das obras da Basílica. Feito de granito maciço na cor marrom claro, a obra mede 1,70 X 1,70 metro e pesa 3,5 toneladas. Formam ainda o novo altar central, a mesa da palavra - onde são lidas as liturgias - e o piso redondo, também em granito nas cores branco, vermelho e rosa. Além do reforço no policiamento da cidade, que contará com cerca de 300 homens, 560 funcionários do Santuário Nacional estarão trabalhando amanhã, para atender bem os 200 mil romeiros. DevoçãoA devoção a Nossa Senhora Aparecida já dura 285 anos. As demonstrações de fé começaram com humildes pescadores, que às margens do rio Paraíba do Sul, encontraram a imagem quebrada em duas partes de Nossa Senhora. A pequena estátua, escurecida por causa do tempo que ficou nas águas do rio, foi guardada pelo pescador Filipe Pedroso, em sua casa, por muito tempo. Percebendo que muita gente queria ver a imagem, o filho do pescador, Atanásio, colocou a imagem no Porto Itaguaçu, próximo ao local onde foi encontrada, para que pudesse ser venerada por todos. As pequenas romarias começaram a surgir, principalmente de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Em 1745, depois da construção da Basílica Velha, começaram as grandes romarias a Aparecida, que se propagam a cada ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.