20 mortos na explosão do foguete brasileiro

A explosão que destruiu hoje o foguete espacial brasileiro, no Centro de Lançamento de Alcântara, matou 20 pessoas, informou a assessoria de imprensa da Agência Espacial Brasileira (AEB).Antes da informação sobre os mortos, o presidente da Agência, Luiz Bevilacqua, falou apenas sobre a destruição protótipo do Veículo Lançador de Satélites (VLS) que explodiu às 13h30 no Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão. Bevilacqua afirmou que ele não poderá ser recuperado. O prejuízo causado pelo acidente foi de, no mínimo, R$ 14 milhões - valor estimado do VLS.O foguete seria disparado dia 25 e lançaria ao espaço dois satélites desenvolvidos no Brasil - o Satélite Tecnológico (Satec), produzido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), e o Unosat, desenvolvido pela Universidade Norte do Paraná (Unopar) com apoio da Agência Espacial Brasileira. Não há ainda como se avaliarem os estragos causados na infra-estrutura do Centro. É a terceira vez que ocorrem acidentes com veículos lançadores de satélites no Centro de Lançamento, mas é a primeira vez que isso acontece antes da realização da ex periência. Em 1997, o VLS 1 apresentou problemas na fase 1 de lançamento. Em 1999, o VLS 2 não entrou em órbita e foi destruído. Bevilacqua, no entanto, defende a continuidade do Programa Espacial Brasileiro. ?Ele não pode ser sepultado. Ao contrário. O ideal é que investimentos sejam reforçados, para que possamos aprimorar o trabalho?, afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.