2º turno em SP atrai atenção dos analistas europeus

Analistas do mercado internacional ainda estão digerindo os resultados do primeiro turno das eleições municipais brasileiras, mas já está claro que o pleito não causou surpresas capazes de terem um impacto relevante no ânimo dos investidores. As atenções, a partir de agora, se concentrarão de vez sobre o segundo turno para o município de São Paulo, um resultado considerado crucial para uma avaliação completa do impacto das eleições sobre o cenário político do País.O chefe de pesquisa do banco Dresdner Kleinwort Wasserstein, Neil Dougall, disse que as eleições ocorreram como previsto, com o Partido dos Trabalhadores perdendo em algumas capitais importantes.Segundo ele, será muito difícil para o PT obter uma vitória no segundo turno da capital paulista. "Além disso, comparando-se com a expectativa prévia de vitória em cerca de 500 municípios, parece que o PT venceu em apenas 324", disse Dougall. Em contrapartida, observa o analista, o PT foi capaz de aumentar a sua fatia do total de votos, assegurando 17,2%, acima dos 14% registrados nas eleições de 2000.O analista do DKW afirma que as chances de José Serra, do PSDB, vencer o segundo turno em 31 de outubro "são agora muito altas", pois as pesquisas de opinião já estavam indicando uma margem de 12% de vantagem para o candidato tucano. "Se o PT perder São Paulo, será um golpe amargo para o partido", disse. "Isso significaria que tanto o Estado de São Paulo como a cidade de São Paulo estariam nas mãos do PSDB - representando um forte contrapeso ao PT no nível federal."O analista Adauto Lima, do WestLB, ressaltou que tanto o PT como o PSDB obtiveram vitórias importantes. O PT ganhou em sete grandes cidades, seis delas capitais e o PSDB ganhou em seis. Além disso, o PT participará do segundo turno em nove capitais, enquanto o PSDB participará em seis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.