2 mil pessoas acompanharam enterro, segundo a Globo

O enterro do empresário e jornalista Roberto Marinho, presidente das Organizações Globo, que morreu na noite de quarta-feira, aos 98 anos, foi acompanhado por parentes, amigos, políticos, colegas da Academia Brasileira de Letras e funcionários das Organizações Globo. Curiosos que a segurança não conseguiu barrar também assistiram, de longe. Segundo seguranças, cerca de mil pessoas passaram pelo cemitério. A TV Globo estimou o público em duas mil pessoas.No início da noite, a família Marinho divulgou nota agradecendo as homenagens. Os principais nomes dos meios político, empresarial e artístico brasileiro estiveram entre as pessoas que compareceram ao velório do empresário, nesta tarde.Estiveram na casa do Cosme Velho, zona sul carioca, onde Marinho vivia com a mulher, Lily de Carvalho, do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao adversário histórico Leonel Brizola, presidente do PDT; estrelas da TV como Fernanda Montenegro e Glória Menezes; e empresários como Olavo Monteiro de Carvalho e Antônio Ermírio de Moraes. O presidente da Associação Nacional de Jornais e diretor-superintendente do Grupo Estado, Francisco Mesquita Neto, também compareceu. O corpo do jornalista foi enterrado às 16h30, no mausoléu da família, no Cemitério São João Batista. O corpo seguiu da residência dos Marinho para o cemitério, em Botafogo, num carro da TV Globo. Para garantir o acesso de parentes e amigos, a Polícia Militar organizou uma operação que envolveu mais de 150 policiais e 30 guardas municipais e incluiu a reversão temporária da mão da rua Voluntários da Pátria e o bloqueio de vias secundárias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.